O que é melhor para minha empresa? Site ou Facebook?

Se você está se fazendo esta pergunta você deve partir de outro questionamento: Afinal, o que eu quero para minha empresa no ambiente virtual?

Primeiramente, permita-nos trazer algumas informações sobre o atual cenário da internet como base para esta discussão. O acesso à internet atinge mais de 85 milhões de brasileiros, o que equivale a pouco mais de 49% da população do país, segundo o IBGE, em abril de 2015. Aliás, vale ressaltar que neste número, 77% dos domicílios têm conexão por banda larga fixa, enquanto 43,5% têm acesso à banda larga móvel.

Já o preferido dos brasileiros, o Facebook, conta com 89 milhões de acessos mensais. Levando em consideração que o Brasil possui mais de 107 milhões de internautas, segundo a consultoria eMarketer, chegamos ao fato de que oito em cada dez internautas fazem parte da fatia que usam o Facebook, segundo dados referentes ao segundo trimestre de 2014.

Ao analisar alguns desses dados percebemos que ainda há muito mercado para ser explorado pelas empresas. Portanto, voltemos ao nosso objetivo deste artigo, site ou Facebook? Então é você quem precisa definir seu objetivo!

Olha só, no decorrer deste texto usaremos o termo produto, para designar algo que uma empresa oferece de modo geral, incluindo serviços, ok!? 😉

Antes de tudo, analise bem o seu negócio para saber por onde começar. Essa é uma análise que pode ser fomentada de diversas maneiras. Veja:

  • Quem é seu público?
  • Quais são seus produtos e como vai destacá-los na internet?
  • Como seus clientes fazem usam a internet para procurar o que sua empresa oferece?
  • Qual a linguagem adequada para conversar com seu cliente?

Essas são algumas formas de iniciar o processo de como posicionar sua empresa em relação ao seu cliente para o meio digital.

Por que um site?

2016-ABR-post-blog-vs-facebook

Não é novidade que a internet está mais acessível a todo mundo hoje em dia, por isso, um site ainda é muito importante para uma empresa. Fazendo uma analogia simples, o site é a “sede” da sua empresa na internet. É a representação da instituição no ambiente digital, onde é possível fazer todas as personalizações necessárias para que o seu cliente identifique sua empresa da melhor maneira possível seja via desktop, smartphones ou tablets.

Algumas pessoas ainda questionam a verdadeira necessidade da criação e constante manutenção de um site diante do fenômeno que o Facebook se tornou. Mas vá com calma, você não pode simplesmente criar uma fanpage de sua empresa na rede social e sair trabalhando e atendendo clientes. Planeje-se!

Em um site as possibilidades de personalização do conteúdo são inúmeras. O conteúdo pode ser escrito; informativos; promoções; descrições sobre seus produtos; conteúdos em imagens ou fotos; ilustrações; infográficos; conteúdos em vídeos (que trazem um apelo de proximidade com o seu cliente); personalização de layout de acordo com a sua marca ou o seu mercado ou tipo de produto, por exemplo. Muitas possibilidades, não?

Sem contar que, independente do seu segmento, é possível analisar quem são os visitantes do seu site, como eles se comportam, quais páginas do seu website estão sendo eficientes, quais precisam de melhorias, de onde vêm os acessos, ou seja, é possível ter uma visão minuciosa de como está a sua empresa na internet e como seus clientes estão interagindo com o seu site.

Além disso, é possível estabelecer alguns formatos de sites que sua empresa necessita. Os tipos de websites mais utilizados:

  • Site institucional;
  • Hot site ou site promocional;
  • Site de vendas, as famosas lojas virtuais;
  • Site de conteúdo, voltados para notícias, blogs, etc.

Não iremos nos aprofundar nos tipos de site neste texto, mas podemos falar mais sobre
eles em um próximo artigo.
O site quando bem desenvolvido traz credibilidade para a marca e grande visibilidade para a empresa. Sem contar que o site, pode ser ranqueado no sistema de busca do Google, claro que isso pode levar um tempo e vai depender do conteúdo que você atualiza em seu site periodicamente.

Com um site você pode trabalhar tanto o lado do conteúdo próprio, para ser encontrado organicamente no Google (sem pagar), quanto fazer anúncios patrocinados no Google. Uma dica: se o seu site é novo e não terá muito conteúdo para atualizar no início, o melhor a se fazer para aparecer nos primeiros resultados do Google é fazer direto o anúncio pago.

É bom ressaltar, que ao optar por fazer um site para sua empresa, lembre-se que o valor que você deve considerar para comprar um site, além do valor da criação do site, é a compra de um domínio e uma hospedagem. Em breve podemos trazer mais informações sobre esta etapa.

A nossa posição em relação a uma empresa possuir um site é muito clara, é de extrema importância para o negócio do empreendedor e é a melhor forma de investir na empresa para que ela entre na internet da maneira mais correta e assertiva. Então, ter um site é obrigatório. 😉

E o Facebook?

2016-ABR-post-blog-vs-facebook-b

É muito importante também, porém, usar com responsabilidade é a chave dessa ferramenta. Antes de qualquer coisa o Facebook é o complemento da comunicação e do marketing que a sua empresa pode ter na internet. Não deve ser a única ferramenta!

Essa rede social já faz parte de diversos tipos de empresas e dos mais variados segmentos. E claro, é a primeira opção que as micro e pequenas empresas optam para divulgar seu produto.

Quando somos abordados por um cliente interessado em criar um site para sua empresa, um dos comentários que ouvimos durante a conversa é: “Já tenho um Facebook e eu estou trabalhando com ele”. Isso é ótimo, até porque na maioria das vezes alguém da própria empresa pode criar a conta no Facebook e fazer as divulgações.

Mas, de certa forma, se não houver um cuidado, o Facebook pode dar dor de cabeça para a empresa, ainda mais falando em conectividade e pessoas conectadas o tempo todo. Então, se sua empresa entra para o Facebook é porque ela tem algo a dizer ou oferecer para seus clientes, algo que crie o interesse para as pessoas curtirem a página da sua empresa.

Já vimos por aí, principalmente em noticiários sobre redes sociais a serviço das empresas, os problemas que foram causados pela utilização equivocada do Facebook. O cuidado com o que vai postar e a forma como será o atendimento ao cliente é muito importante para que não se tenha surpresas desagradáveis.

Por isso, o planejamento para a criação de um Facebook para sua empresa é fundamental. Encare a criação deste canal de comunicação como algo que você terá que refletir sobre o que é o seu negócio e com quem você quer conversar por meio de sua fanpage.

Não dá para sair postando qualquer coisa no Facebook, sem saber para quem sua empresa vai se dirigir. E claro, organizar sobre o que você vai postar em quais quantidades, tipos de fotos, imagens, se será uma linguagem formal ou informal. Isso tudo deve ser definido com antecedência para que todos que tiverem acesso à página tenham o conhecimento de como fazer.

Dois lembretes!

1º Não, nunca, em hipótese alguma, crie um perfil para sua empresa. Perfis são para pessoas físicas que tem amigos. Empresas têm fanpage para ter curtidores, clientes que seguem a página, pois se identificam com ela, ok!?

2º A página da sua empresa no Facebook não deve ser uma vitrine só de venda, onde só se vê postagens sobre venda, vende-se isso, vende-se aquilo, promoção daqui, 50% off dali. Publicar isso em grande quantidade pode ser prejudicial e também parecer um ato de desespero da empresa. Não faça isso!

Visualize a seguinte situação: você vê várias rodas de pessoas conversando e de repente uma empresa chega interrompendo a conversa para falar sobre ela ou de uma promoção. Isso é esquisito, não? Não parece ser uma intromissão? Essa não é a forma correta de apresentar sua empresa para seus clientes.

Gostou? Receba novidades por email:

Então, tenha cautela na hora de decidir o que vai publicar em sua página. Mas calma, não é que sua empresa não deve vender seu peixe, isso precisa ser feito de maneira equilibrada. Exemplo rápido, conforme a própria Camila Porto, expert em Facebook Marketing, diz em seus vídeos de dicas em sua página do Facebook sobre a regra 80 / 20. Para cada dez publicações que sua empresa faz no Facebook (para relacionamento e engajamento) reserve duas para falar sobre seus produtos e vender.

Com a página de Facebook para empresa é possível trabalhar em algumas frentes e as mais comuns e utilizadas são:

  • Relacionamento – Nada mais é do que se relacionar com as pessoas, responder comentários, mensagens inbox, interagir com um cliente ou fornecedor;
  • Engajamento – Fazer com que as pessoas gostem do seu conteúdo, que compartilhem, curtam, falem sobre;
  • Conteúdo – Para ter engajamento é preciso ter conteúdo relevante, então, investir nesse quesito é fundamental (e dá trabalho);
  • Venda – E claro, a venda propriamente dita. Aqui você pode publicar a sua oferta para que seus clientes saibam o que você comercializa.

Isso porque não entramos na questão dos anúncios no Facebook, que é outro assunto e que podemos falar em breve.

Afinal, site ou Facebook?

Apresentamos algumas das principais informações sobre cada ferramenta e o que podemos dizer como resposta é: Os dois!

É possível começar por um ou outro? Sim.

O site, por mais que tenha um custo inicial, se faz muito importante para qualquer empresa, pois é o cerne da organização na internet. O site será sua sede estabelecida no ambiente digital, onde você personaliza e põe toda a identidade do seu negócio para atender seu cliente.

O Facebook, por mais que não tenha custo monetário e é mais fácil para o próprio empreendedor começar a fazer, costumamos dizer que tem custo das horas trabalhadas em cima da ferramenta em torno de tudo que dissemos neste texto. No Facebook é onde você faz o relacionamento com o seu cliente, de maneira mais amigável, participando do ambiente que ele navega todos os dias e entregando conteúdos importantes e interessantes, mas sem esquecer que sua empresa também está ali para atendê-lo com seu produto.

Até porque, em um determinado momento, você vai perceber que sua empresa necessita ter as duas ferramentas para alcançar com maior amplitude e eficiência o seu público e atendê-lo da melhor maneira possível.

Então, seja com um Site ou com o Facebook, sua empresa precisa estar na internet para atender o seu cliente.

 

Crédito revisão do artigo: Julio Glodzienski – Jornalista